Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Retalhos de devaneios madrugadores

(Imagem para o miniconto escrito por mim. Link: https://sweek.com/read/105441/1400000162)
É madrugada e os olhos tremem de sono. O corpo respondendo a necessidades biológicas segue o ritmo do sono. Mas resisto. E então decidi escrever pequenos trechos de alguns pensamentos, nada estruturado, visto a hora e o cansaço, porém contém algo de visceral, originado como o álbum do Nirvana que ouço agora, dos intestinos e estômago doído. 
Bom, é outro dia, quando não dormimos nos parece o mesmo, é como o ano novo, tecnicamente é 2018, mas para mim nem sinto a menor diferença; meu relógio se quebrou quando o natural começou a parecer estranho, dançando e sendo rebolado para fora e dentro de todos, contudo nada percebido.  Um tremor vago mexe nos meus olhos e me sinto flutuar diante das descobertas... Essas ideias são muito pessoais, entretanto sei que alguém, ou você que aqui lê poderá entender meu olhar encardido e antiquado. Muitos já pensaram como eu, até Freud sabia disso. Só mudamos as pa…

Últimas postagens

A educação, a existência e o ser humano: resenhas de Grito de Guerra da mãe tigre e A Peste

Carpe diem: somos poeira e sombras

Diálogo pertinente: Literatura e História

Diante da dor dos outros - um devaneio

Devaneando

Diário de leitura + antigas novidades

Séculos... A quebra de paradigmas românticos em Gonçalves Dias

Resenha de "Fazendo Ana Paz" de Lygia Bojunga